Centro-sul deve produzir 6% mais etanol em 18/19; açúcar cairá na mesma proporção

Centro-sul deve produzir 6% mais etanol em 18/19; açúcar cairá na mesma proporção

As usinas do centro-sul do Brasil deverão processar na safra 2018/19 um volume de cana apenas ligeiramente maior na comparação com 2017/18, cujos trabalhos estão se encerrando, e haverá uma grande disparidade entre a produção de açúcar e etanol, uma vez que o setor se volta ao biocombustível, nos últimos meses mais atrativo que o adoçante. 

 

De acordo com a média de uma primeira pesquisa da Reuters para a próxima temporada, que se inicia oficialmente em abril, as usinas e destilarias da região deverão moer cerca de 590 milhões de toneladas de cana, alta de quase 1 por cento ante as 585 milhões de toneladas previstas para o atual ciclo pela União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica). 

 

Conforme consultorias e agentes de mercado ouvidos pela Reuters, condições climáticas desfavoráveis em alguns momentos deste ano e a baixa renovação de canaviais impedirão uma expansão significativa na colheita e, consequentemente, no esmagamento da principal região canavieira do maior produtor e exportador de açúcar. 

 

“As questões climáticas têm pesado na revisão quando combinadas com o envelhecimento dos canaviais”, resumiu Eduardo Sia, analista da Sucden. 

 

Esse equilíbrio ante 2017/18, no entanto, não deve ser observado nos produtos. 

 

Na média, é esperada uma fabricação de 33 milhões de toneladas de açúcar, queda de 6,3 por cento ante 2017/18, e uma produção de 26,1 bilhões de litros de etanol, alta de 5,9 por cento em relação ao previsto para a safra vigente. 

 

O etanol voltou a ser bem atrativo para o setor sucroenergético neste semestre, na esteira de altas tributárias maiores para a gasolina, concorrente direto do hidratado, e pode manter competitividade especialmente se o programa RenovaBio passar no Congresso Nacional. 

 

Pelos dados mais recente da Unica, que aposta em uma aprovação da nova política de biocombustíveis ainda em 2017, as vendas totais de etanol (anidro e hidratado) cresceram 15,2 por cento na primeira metade de novembro, com mais de 1 bilhão de litros. 

 

Fonte: novacana.com

 

Com o aumento da produção de açúcar e etanol, a tendencia é que as usinas melhorem e modernizem a linha de produção para reduzir a manutenção. A Reunidas representa a Replass que desenvolve soluções em polietileno e polipropileno para aplicação nos pontos críticos do processo como: diluição de ácido, transferência de caldo, distribuição de água ácida e sistemas de resfriamento como spray pond aéreo e spray pond submerso. A Reunidas também representa a Belfano com o produto para secagem de açúcar e a ALEF, líder de mercado em bombas magnéticas e hermérticas.

 

 




Voltar

Rua Triunfo, 1349 sala 411| Jd. Botânico| Ribeirão Preto, SP | CEP: 14021-612
Tel.: (16) 99732 4224

Trip Propaganda