Replass utiliza as técnicas de Soldagem mais atualizadas do Mercado

Replass utiliza as técnicas de Soldagem mais atualizadas do Mercado

Replass utiliza as técnicas de Soldagem mais atualizadas do Mercado

Com a necessidade das indústrias em utilizar produtos que necessitam de maior durabilidade e menos manutenção durante o processo industrial, a utilização dos termoplásticos como polietileno e polipropileno vem crescendo constantemente e como consequência a utilização de mão de obra especializada.

A partir dessa necessidade vem os desafios para as empresas prestadores de serviços, devendo adequar-se a nova realidade e oferecer soluções para redução de custos e manutenção de equipamentos e processos.

A Replass iniciou suas atividades em 1987 para atender as necessidades de soldagem em tubos de Polipropileno e Polietileno para o mercado sucroalcooleiro da região de Ribeirão Preto.Desde então a Replass manteve suas técnicas de soldagem atualizadas capacitando seus funcionários e adquirindo novos equipamentos. Também nos especializamos em soldagem química de PVC e CPVC Sch 80 que transportam materiais de alta periculosidade.Hoje a Replass consegue oferecer um leque grande de serviços para atender as necessidades do setor como: Soldagem Termofusão, Eletrofusão e Soldagem química, além de Monitoramento de processos industriais, montagens de sistemas, checkup de equipamentos, especificação e levantamento de materiais, supervisão de montagem, locação de equipamentos e manutenção de válvulas plásticas.

Conheça abaixo um pouco mais sobre a Soldagem:

Dentre os métodos de soldagem temos:

 

  • Soldagem por Termofusão
  • Soldagem por Eletrofusão
  • Soldagem Química

 

Soldagem por Termofusão 

 Pode ser utilizada para qualquer diâmetro de tubo, todavia é mais adequada para tubos de tubos de DE ≥ 63.É a forma de união mais tradicional e aplicada em tubos de PE. Apresenta uma história de grande confiabilidade, segurança e desempenho. Neste tipo de soldagem, os tubos ou conexões são soldados topo a topo, desta forma, para a união de tubos, não necessita peças de conexão. As conexões para solda de termofusão de topo são aplicadas para executarem-se Transições, Tês, Curvas de pequenos raios ou Reduções.


1. Conexões para Solda de Topo por Termofusão

 As Conexões para Soldas de Termofusão de topo são Conexões Tipo Ponta, isto é, as suas dimensões na região de soldagem correspondem às dimensões do tubo equivalente. As conexões podem ser dos seguintes tipos:

a)   Injetada - normalmente disponíveis em diâmetros de até DE 315

 b)    Segmentada - quando é produzida pela soldagem de seções de tubos de polietileno, em ângulos adequados à conformação da peça. Podem possuir reforços externos.

 c)   Curvada e Quente - utilizada para confecção de curvas de raio longo; raios maiores que 3.DE;

d)   Usinadas - produzidas através de placas ou tarugos de polietileno. Mais normalmente empregadas para confecção de colarinhos e reduções de grandes diâmetros.


2. Soldagem Tipo Soquete ou Encaixe por Termofusão

 

 Pode ser aplicada para tubos de DE 20 a 110, todavia é mais adequada para tubos de DE 20 a 63 com SDR ≤ 17, ou seja:

PE 80 ≥ PN8

PE 100 ≥ PN

Seu uso vem diminuindo em redes de água e não se utiliza mais em redes de água e gás na Europa, sendo ainda empregada nos EUA em pequenas instalações industriais.Este tipo de solda emprega uma conexão que possui uma bolsa, onde o tubo será introduzido através de um dispositivo térmico de aquecimento, a superfície interna da bolsa e externa do tubo são levadas à fusão. A seguir, o tubo é introduzido na bolsa, promovendo a interação da massa fundida da peça com a do tubo, mantendo o conjunto imóvel até que ocorra o resfriamento.

 

2.1. Conexões para Solda tipo Soquete por Termofusão

São oferecidas em vários tipos: luvas de união, redução, Tês, cotovelos, etc.


3. Soldagem tipo Sela por Termofusão

É utilizada para fazerem-se derivações de linhas, ou ligações de ramais. Aplica-se para tubos de DE ≥ 63, sendo que os tubos de DE 63 devem ter SDR ≤ 11 e os tubos de DE > 63 devem ter SDR ≤ 17.Seu uso vem diminuindo em redes de água e não se utiliza mais em redes de água e gás, sendo ainda empregado nos EUA e na fabricação de Tês de Redução. Consiste na soldagem de uma conexão injetada ou usinada, que possui uma base em forma de sela, que assenta sobre o tubo. Através de um dispositivo térmico de aquecimento, funde-se o material da base da conexão e da superfície externa tubo, comprimindo-se, a seguir, a peça contra o tubo, promovendo-se a interação das massas fundidas, até que resfriem.

 

3.1 Conexões para solda tipo Sela por Termofusão

As conexões tipo Sela são de dois tipos:

a)   Sela simples ou Tê de Sela:

 

Aplica-se em linhas sem carga. Após a soldagem utiliza-se uma broca, ou serra copo para furar o tubo e estabelecer a ligação.

b)  Sela com punção ou Tê com punção ou Tê de serviço ou Tapping Tee

Aplica-se em linhas em carga. Contém uma ferramenta de corte integrada capaz de puncionar (furar) o tubo em carga para estabelecer a ligação.

 

Soldagem por Eletrofusão

Em 1991, o Técnico Eng.Hans Mösl, trouxe diretamente da Alemanha para o Brasil, A Tecnologia de Conexões em PEAD, processo de soldagem por Eletrofusão.Esta soldagem pode ser aplicada para tubos de DE 20 a 315 e com SDR ≤ 17. Alguns fabricantes já oferecem peças com diâmetros até DE 710 mm.Também é muito empregada em tubulações de gás, em especial em diâmetros até DE 125, e seu uso vem crescendo em rede e ramais de água, pois seu custo vem diminuindo, tornando-se competitivo. Apresenta grande segurança e facilidade de execução. Este tipo de solda emprega uma conexão provida de uma bolsa, ou sela, respectivamente denominadas como do tipo bolsa ou do tipo sela, que possui uma resistência elétrica espiralada incorporada, cujas extremidades são conectadas a terminais que se localizam na parte externa da peça e que, quando submetidas à determinada intensidade de corrente elétrica e tempo, geram calor a fim de possibilitara solda da peça ao tubo, cuja superfície externa é concomitantemente fundida.

 

1. Conexões para solda por eletrofusão

As conexões de eletrofusão são produzidas por injeção e são do tipo sela ou bolsa. As de sela podem ser do tipo Sela simples (Tê de sela) ou Sela com punção (Tê de serviço ou Tapping Tee).


Soldagem Química (Colagem)

 

União entre duas partes mediante o ataque químico das superfícies provocado por um solvente volátil que leva à fusão entre as partes, com auxílio de pressão mecânica. Um processo aparentemente simples, porém, de altíssima responsabilidade. Em se tratando de linhas para transferência de produtos altamente corrosivos, nas áreas industriais.

Por processo químico, utilizando colas especiais, consegue-se fundir conexões e tubos possibilitando 100% de estanqueidade em variadas situações de pressão e temperatura, a que são expostos.

A Replass também desenvolve soluções personalizadas conforme a necessidade como Sifão Diluidor, Spray Pond submerso e aéreo, Sistema para transferência de ácido e distribuição de água ácida, Anel de Recalque e Sucção, Diluidor de ácido, Misturador Estático e Peças Especiais.

Consulte mais informações sobre os serviços fornecidos pela Replass através do site www.replass.com.br




Voltar

Rua Triunfo, 1349 sala 411| Jd. Botânico| Ribeirão Preto, SP | CEP: 14021-612
Tel.: (16) 99732 4224

Trip Propaganda